CAMINHO FRANÇÊS DE SANTIAGO - 07-06-13 a 16-06-13--STº JEAN PIED DE PORT- CABO FINISTERRA (900KM)

  
Foi no jantar de Natal de 2012 que os manos  Valério em conversa apos a ceia, "e se fossemos fazer o caminho françês para o ano??" mais depressa o dizemos mais depressa pusemos mãos a  obra, reuniu-se pessoal interessado e começou-se a delinear a logistica que nos ia por e trazer, o que iamos levar, mochila, alforges, traillers, apos muitas reuniões e conversas chegou-se ao grupo de :

 zyberianos: RENATO VALERIO, MARCO LOPES, MANUEL MAIA e o JOÃO VALÉRIO grande impulsionador do projeto, os dorsais que usamos (ver acima).

A escolha recaiu sobre os traillers, o peso deles variava entre os 5.1kg e os 7.1 do Manuel Maia, iam nos levar a França em carro com atrelado que acondicionaria as bikes e sacos e iam nos busar a Santiago ou 2 dias antes caso fosse necesário.
Os 4 aventureiros com O Filipe (zona 55) que infelizmente nao nos pode acompanhar a pedalar e foi o nosso "motorista" até França (StºJean Pied du Port).

DIA ZERO
VIAGEM DE CARRRO
ABRANTES-STº JEAN PIED DU PORT --900KM 12H VIAGEM com paragens


As 5h30 verificamos a carga preparamos tudo e perto  das 6:00  la arrancamos, com algumas paragens, viagem calma onde so as paisagens do Pais Basco merecem um arregalar de olhos.

Ate França estava tudo dentro do previsto ligamos a confirmar a hora so tinhamos 15min de atraso quando a 4km do albergue em STº JEAN...um barulho nos fez encostar o carro e depois de 3 pessoas passaram os olhos, apenas o Manuel Maia detetou  o grave problema, a  lança do atrelado estava praticamente partida, foi quase um milagre nao ter partido o atrelado e com ele iam as bikes e bagagens, Santiago esteve conosco e começava a ajudar-nos, atuamos rapido, seguiu o Renato Valerio com o Filipe e Rita para o albergue para avisar do sucedido e garantir a estadia, o Filipe entrava em contato com a seguradora e o M.Maia o Joao e o Marco descarregavam a bagagem e as bikes, decidimos que iamos a pedalar os 4km até ao albergue, depois da situacao esclarecida junto a seguradora e gerencia do albergue, la começamos a pedalar em direção ao mesmo ja com alguma chuva.
Bikes arrumadas o jantar ia ser servido e parecia que o maior susto ja tinha passado.
 As simpaticas gerentes do albergue de nacionalidade holandesa e alemã a darem uma ginja de entrada,  e todos os peregrinos a apresentarem-se; uma autentica torre de babel, de paises como Australia, Austria, Belgica, Alemanha, Espanha, Holanda
 albergue: L'ESPIRIT DU CHEMIN
Traseiras do albergue.
Sem duvida recomendamos este local, fantastico ambiente, boas condições, depois de jantar la levantamos a caderneta de peregrino e tomamos um duche e fomos preparar as coisas para começarmos a aventura e dormir um pouco .

FOTOS DIA ZERO

DIA 1 (7 JUNHO) STº JEAN PIED DU PORT- PAMPLONA
TEMPO: ameno variou entre os 11º e os 17º
DISTÂNCIA: 65 KM
ACUMULADO: 2130mts

Começamos o dia com o pequeno almoço, pao doces manteiga, café, preparmos os sacos nos trailers e que peso eles tinham sabiamos que ia ser duro deste o inicio e a carga que levavamos, fez-nos refletir sobre tamanha "dose".

FOTO DE FAMILIA,(da esquerda par a dir.: MARCO LOPES, FILIPE RODRIGUES, JOÃO VALÉRIO, nossas anfitrias, RENATO VALÉRIO, MANUEL MAIA e o nosso recente amigo Rafa que ia fazer o caminho até Santiago.

E la arrancamos por entre aquelas ruelas quase magicas, pisando o chão que milhares de peregrinos já o fizeram.
La começamos a subir, e que subida, é indescritivel a dureza, não ha palavras, são 5km a subir com 18% a 22% de inclinação puxando o trailer de 5kg mais 13kg de carga tornava-se uma missao quase "herculea" chegando a terra ao final de 5km la fizemos uma pequena pausa e ja tirando os manguitos e pernitos começando a dislumbrar a paisagem.

Por terra continuvamos a subir até aos 12km na maior parte dos locais as pedras humidas tornavam quase impossivel subir montado levando-nos a empurar 30kg pelos Pirineus acima,. detetou-se um problema no eixo do trailler do R.Valerio pensndo-se ser mais grave, mas resolvido com distinção ja que até ao fim nunca mais deu problemas, la continuavamos a subir com paisagens divinais, o sofrimento e esforço dava lugar a satisfação enquanto iamos passando centenas de peregrinos aquelas paisagens nunca mais as vamos esquecer.






Depois de 16km começamos a subir mas com menos inclincação e já depois de um café e cola que tomamos na montanha, encontramos ainda restos de neve que fez as nossas delicias.
A partir dos 17km e depois de passarmos esta placa começamos a descer os pirineus com uma adrenalina fantatastica e com os traillers a responderem magnificamente.



Paramos para almoçar uns bocadillos ja em Espanha e continuamos com belos bosques e descidas com muita pedra e muita turpidação la iamos fazendo os ultimos km's do dia junto a um rio onde encontravamos sempre muitos pregrinos e bicigrinos portugueses e brasileiros e alguns espanhois, a chegada a Pamplona fez-se tranquilamente e por volta das 17h10 chegavamos ao albergue que o Rafa nos tinha reservado e onde ele ja tinha chegado, mas entretanto ja tinha sido ocupado e encontrava-se esgotado, ligando para o proximo dentro de Pamplona e perto daquele local, la guardamos as bikes, os traillers e fizemos o chek in, era um antigo convento onde a disposição dos beliches mais fazia lembrar um antigo hospital as condições eram q.b. nao aconselhamos muito este local.

O Rafa acompanhou-nos num belo jantar numa cidade com muita "movida" e segundo ele numa das zonas em que se vive melhor em Espanha, Pamplona situa-se na zona de Navarra, deitamo-nos relativamente cedo que no outro dia tinhamos mais uma etapa.

FOTOS DIA 1
 
DIA 2- (8 JUNHO) PAMPLONA - VIANA
TEMPO: CHUVA, a rondar os 12º
DISTÂNCIA: 88KM
ACUMULADO:1674 MTS
HORAS A PEDALAR: 9:33:00

E la recomeçava outro dia, levantar as 6:15 arrumar tudo novamente, por tudo nos traillers preparar as bikes, apenas lubrificação de corrente e ja tinhamos comprado o nosso pequeno almoço de vespera, e ja estavamos prontos para sair perto das 7h30 la saimos de Pamplona logo á primeira e sem nos perder-mos,  a muita chuva que se fazia sentir era um dos inimigos do dia o outro a muita lama nos trilhos, ao fim de poucos quilometros, o R.Valerio ja trazia um raio partido e o sepo da roda de tras a querer falhar, os trilhos eram bonitos e passagem em algumas "villas" engraçadas.

 um "cunho" no passaporte de peregrino que é exigido 1 por dia até 200km de Santiago a partir dai sao necessarios 2 para ter direito ao diploma de peregrino

La seguimos caminho subindo e descendo  onde passavamos por muitos bicigrinos e peregrinos, depois da paragem para almoço um dos locais maisengraçados antes de uma valente subida, a "fonte del vino" , depois iniciamos uma subida longa mas que se fazia bem mesmo com os trailers, a lama é que era cada vez mais e nas descidas começava-se a sentir as pastilhas ou  a falta delas...numa parte final mais rolante com subida antes de descermos para Viana, as bikes e nos ja pediamos descanso da chuva e da lama.

Quando chegavamos a Viana os nossos olhos carregados de lama sorriam, mas quando chegamos ao albergue e a senhora abre a porta, (não sei o que foi pior o estado dela ao ver-nos assim tao sujos ou a expressao ao dizer que estava esgotado assim como em Logrono (12km dali , havia la festas) e so iamos encontrar a 30km dali) bem caiu-nos tudo, ficamos com um olhar de tristeza tal que ela disse para lavarmos as bikes  nas bombas numa maquina de pressao que nos ia desenrascar algum sitio para ficarmos, seguimos em direção as bombas e com maquina de pressao lavamo-nos a nos e as bikes, com ar bem mais limpo la tomamos um duche e seguimos para uma garagem que nos desenrscaram para ficarmos onde tratamos de fazer uma mini revisao as "meninas"

 Depois de subsituirmos as pastilhas das bikes do João, Manuel e Marco (as da Jorbi do Renato eram novas e aguentaram-se) o super mecanico Marco la tratou da roda da Jorbi do Renato afinou-se as outras e ficaram quase como novas, ja tarde seguimos para procurar jantar (um pouco pesado)

FOTOS DIA 2

DIA 3 -(9 JUNHO) VIANA- BURGOS 

 TEMPO: CHUVA FORTE E VENTO FORTE  DURANTE A MANHA, COM MELHORAS DURANTE A TARDE, ENTRE OS 10º E OS 18º
DISTÂNCIA: 133km
ALTIMETRIA: 1500 mts 
TEMPO DECORRIDO A PEDALAR: 10:33



Dia de chuva forte, frio, optamos por ir sempre pro alcatrão com receio de as bikes nao se aguentarem (o material) tal era a lama nos trilhos que eram quase todos pararelos a estrada.

rolar e rolar e rolar, ...que dia para esquecer o Renato vinha com dificuldades musculares desde o inicio da etapa que era so a mais longa..sem os caminhos sem os peregrinos e sem viver o espirito, esta tornou-se a etapa para esquecer..

A maior tirada desta doideira, foram 133km com os trailers a reboque e a pedalar debaixo de chuva intensa e forte, bem como vento fortíssimo que nos obrigaram a optar, tal como muitos outros bicigrinos fizeram, a realizar o traçado em asfalto junto ao camino. Fizemos algumas dezenas de kms em auto via (?? - verdade!), a polícia já nem ligava, tantos eram os malucos de bicla nas faixas de emergência, momentos a não esquecer... que doideira! Hoje o Renato Valério furou a roda traseira em plena auto via mas o selante lá fez o seu papel. O Tufo JV também furou a roda traseira, mas obrigou todo o grupo a parar e a montar uma camara, isto sempre debaixo de chuva intensa, o tipo de coisa que nos leva a pensar: "Mas o que raio estou aqui aqui a fazer em pleno domingo a tantas centenas de kms de casa?" Os últimos 30km foram uma loucura, a rolar quase sempre acima dos 25km/h, puxando pelos mais de 20kg em cada trailer tirando o peso das biclas picados com um espanhol que andava a treinar na sua btt e se viu e desejou para acompanhar o nosso ritmo até à entrada de Burgos... ficou parvo quando lhe dissemos que vínhamos a puxar as carroças há mais de 130kms e ainda estávamos com aquela pica toda. Para agradecimento sacou-nos umas fotos nos melhores lugares da bonita cidade de Burgos, onde não apanhámos dormida... tivemos de voltar atrás uns 4km e lá conseguimos num camping com condições aceitáveis. Mais um dia que chegámos encharcados que nem pintos... 10:33 a pedalar com 1500 mts de acumulado positivo. O Manuel João Maia e o Marco Lopes juntaram-se ao clube dos constipados.






Burgos cidade mais bonita do centro norte de Espanha que vimos, lindissima e muito organizada, dormimos no parque de campismo local pois nao havia mais nenhum albergue disponivel encontramos muitos turistas portugueses que vibravam com as bandeiras portuguesas nos traillers, jantamos bem e dormimos razovelmente.


FOTOS DIA 3

4º DIA (10 JUNHO) -BURGOS- TERRADILLOS DEL TEMPLARIOS
TEMPO: QUENTE ENTRE OS 26º E os 36ª
DISTÂNCIA: 112KM
ALTMETRIA: 850 MTS







FOTOS DIA 4 

DIA 5 (11 JUNHO) - TERRADILLOS DEL TEMPLARIOS - ASTORGA
Tempo: SOL, variou entre os 20º e 29º
DISTÂNCIA: 114,36 km
ACUMULADO: 1100MTS
TEMPO: 10:03



Em relação ao previsto tinhamos ficado a cerca de 12km de Sahagun, e hoje iamos tentar fazer esses quilometros em falta, tinhamos descansado bem, as bikes estavam limpas e lubrificadas e seria o ultimo dia com os traillers, arrancamos cedo em relação a vespera e as 7:50 ja estavam a pedalar recuperamos o espirito e animação em relação ao 3º dia e parte do 4º, muitos peregrinos e um inicio com um ligeiro sobe e desce até chegarmos a SAHAGUN
Rolavamos em direção a LEON (onde iriamos almoçar) onde continuavamos na provincia de Castilla et Leon, o Manuel Maia e o João Valério continuavam com dores no joelho direito e tornozelos respetivamente, o que lhe dificultava o andamento o Renato Valério seguia com um pequeno cansaço muscular na coxa esquerda e o "cavalito loco" Marco Lopes seguia com a bateria no máximo, o calor começaca a apertar a paisagem era algo monotona rolavamos bem e antes de Chegar a Leon rolavamos a 25km/h  a  puxar os 20kg dos traillers, passamos por um grupo grande de peregrinos portugueses onde a festa deles e a nossa satisfação de ouvir falar português deu-nos animo.

Paragem numa feira local para comprar fruta, la paramos em Leon para almoçar onde o calor ja apertava.
Depois de almoço la seguimos com uma moleza como nunca tinhamos sentido até ali, o corpo nao queria mexer-se apenas dormir e descansar. la seguimos com mais de 30º, com uns ultimos quilometros até Astorga nada fáceis com subidas e longas e com alguma inclinação em que o J.Valério e o M.Maia viam agravar-se as suas lesoes, descida final até Astorga onde logo avistamos o carro de apoio.
As dores musuclares e algumas lesões ameaçavam-nos mas mais uma etapa chegava ao fim e a satisfação era notória e ASTORGA, é uma cidade lindissima com centnas de anos de historia e com muito para ver e contemplar.

Albergue num antigo convento estadia mais barata de todos os dias 5euros, boas condições e muita simpatia, lugar seuficiente para guardar bikes e traillers acabamos cedo os problemas mecanicos nao nos tinham afetado e la podemos disfrutar um pouco deste local magico.


FOTOS DIA 5


DIA 6 (12 JUNHO) - ASTORGA- LAS HERRERIAS
TEMPO: SOL, variou entre os 18º de manhã até ao máximo de 33º
DISTÂNCIA: 98;51 KM
ACUMULADO: 1600+
TEMPO PERCORRIDO: 9:47

La começamos esta etapa 20kg mais leves, bem dispostos o R.Valerio seguia ja sem dores na coxa (milagre voltaren gel) e o M.Maia e o J.Valério continuavam com as suas lesões trocando novamente de sapatos de encaixe entre eles, o Marco Lopes contiuava em grande forma, primeiros quilometros sempre a apreciar  abeleza de Astorga, seguindo  a subir nos chamados "picos da Europa" onde no topo iamos passar por um dos locais miticos do "camiño" LA CRUZ DE HIERRO, a paisagem era fantastica com cheirinho a montanha vista divinal para os picos onde havia alguma neves nos seus topos.




 local de missa espontanea de peregrinos na montanha

Os caminhos em singletrack eram fantasticos as paisagens de cortar a respiração assim como depois a descida fantastica e muito tecnica cheia de pedras e pequenas armadilhas onde o Manuel Maia teve uma pequena queda onde provocou uma lesao na mão/braço direito, la seguimos até uma pitoresca vila onde almoçavamos continuando na provincia de CASTILLA ET LEON, a seguir  ao almoço seguimos com muito calor e um sobe e desce constante onde chegamos a Las Herrerias, onde ficamos numa casa rural, fora de orçamento mas com excelentes instalações e simpatia









Sem problemas mecanicos nas bikes, descansamos em local confortavel pois no outro dia teriamos uma das subidas mais dificeis do caminho.

FOTOS DIA 6

DIA 7 (13 JUNHO) LAS HERRERIAS- PORTOMARIN
 TEMPO: FRESCO, COM ALGUMA CHUVA  VARIANDO ENTRE OS 9º e os 17º
 DISTÂNCIA: 69,54KM
ACUMULADO: 1700+
TEMPO DA ETAPA: 9:11


Manhã fresca e humida começando logo  a subir desde o inicio onde começamos a "atacar" ao alto do CEBREIRO , paisagens divinais com vegetação densa subida dificil levando-nos as vezes a ter de subir com a bike a mão devido a falta de tração, no cimo da montanha o nevoeiro e humidade era intenso e com pequenas aldeias muito pitorescas, já tinhamos dado entrada na provincia de GALIZA,.









UM Dia cheio de lindas paisagens belos bosques que a chegada a Portomarin foi rapido e com surpresa e sem nenhuma dificuldade ja tinha chegado o final deste etapa, descansamos num bom albergue e chegamos cedo com a companhia de 2 amigos espanhois que tinhamos conhecido em a seguir a Burgos, numa passagem numa ponte a bike do Marco LOpes escorregou e partiu  amanete de travao da frente em carbono foi   nota negativa do dia.

FOTOS DIA 7

DIA 8 (14 JUNHO) - PORTOMARIN -SANTIAGO DE COMPOSTELA

TEMPO:Sol, entre os 18º e 25º
DISTÂNCIA: 93,66KM
ACUMULADO: 1650+
DURAÇÃO:10:41


Acordamos por volta das 7h, e tomamos o pequeno almoço no albuergue, esta tirada iamos faze-la com os amigos espanhois Isi e Alfredo, uma brisa fresca de manhâ ajudou ao autentico carrosel de sobe e desce que foi esta etapa, as florestas lindissimas com tanta sombra que os raios de sol tinham dificuldade em la entrar o espirito foi sempre muito animado, paragem para almoço numa "pulperia" casa de petiscos de polvo e o Marco Lopes que foi comprar uma manete de travao da frente em segunda mão (devido a queda de ontem onde partiu a de carbono). Ritmo calmo onde o Manuel Maia e o João Valério combatiam as dores que sentiam e principalmente o ultimo sofria para nos acompanhar, fomos encontrando desta ultima etapa os grupos de conhecidos que tinhamos vindo a passar nos ultimos dias, chegamos ao Monte do Gozo (onde se avista Compostela e a partir dai é sempre a descer até la).
La desciamos para Santiago entre varias passagens de peões e cruzamentos encontavamo-nos no lado oposto da cidade, ja se sentia um friozinho no estomago, é uma sensação dificil de explicar é um culminar de uma etapa para nos era como um pré-final, chegando a praça da Catedral de Santiago, centenas de peregrinos e bicigrinos contemplavam a catderal ora sentados ora em pé, tiramos a foto da praxe e seguimos para a oficina de perergrino onde iamos buscar o diploma de peregrino mostrando o passporte.
 Com os amigos espanhois que tinhamos vindo a encontrar

Oficina de peregrino
Tivemos depois de atravessar novamente a cidade para irmos de encontro ao albuergue preço barato (5 euros) e onde pudemos descansar para a ultima etapa.

FOTOS DIA 8

DIA 9 (15 JUNHO) SANTIAGO DE COMPOSTELA-CABO FINISTERRA
TEMPO: SOL entre os 20º e 27º
DISTÂNCIA: 93km
ACUMULADO:1700+
TEMPO DECORRIDO: 8:34
 ao almoço guizado de batatas com chouriço , tudo comida leve.

Levantamo-nos mais tarde cerca das 8h, demoramos a sair da cidade de Santiago já que tivessemos que atravessar toda a cidade e recorrer a gps para encontrarmos o caminho para Finisterra não sabiamos de estaria marcado, 4km depois de Santiago la demos com o caminho que se ecnontrava bem marcado como todo o caminho que tinhamos feito, onde encontramos alguns peregrinos, seguiamos novamente num sobe e desce onde tivemos de enfrentar logo a primeira dificuldade o "MONTE DEL CARBALLO" Seguiamos com mais um dia de lindos trilhos, paisagens lindissimas, florestas de encantar, sem duvida uma das mais belas etapas,  a 18km do cabo Finisterra avistavamos o mar de um topo de um monte, e onde iriamos seguir sempre junto ao mar os ultimos quilometros um final em extase desta aventura, onde as dores ja ninguem as sentia, e ja pensavamos no regresso de carro que iriamos fazer logo de saída até Abrantes onde chegamos de madrugada.






CABO FISTERRA
Uma aventura fantastica com um grupo que soube sempre ultrapassar as dificuldades que nos depararam obrigado a Profbike, Jorbi, Pavanatura, O Praticante e o Polvo.
QUAL SERÁ A PROXIMA???????????

NUMEROS FINAIS
9 DIAS/ 9 ETAPAS
867,21 KM
13.499 D+ (ACUMULADO DE SUBIDAS)
61h e 43 minutos em cima das nossas meninas

FOTOS DIA 9




2 comentários:

Anónimo disse...

hello

Edgar Francisco disse...

Parabéns! sem dúvida que é este o espírito do btt, camaradagem e capacidade de sofrimento, só assim se conseguem coisas destas!!!
Espectacular.
Cumprimentos a todos.